quinta-feira, janeiro 29, 2009

parados em um posto para comer alguma coisa antes de seguir para campinas eu digo ä equipe: 'tive um sonho ruim. dormi um pouco agora a noite e acordei assustada. sonhei que estava num acidente de trânsito, fiquei meio preocupada'. samuel, o motorista imenda: 'você fala isso, eu passei a tarde com um pressentimento ruim'. pronto. medo declarado. eu ando medrosa ultimamente pra questões de trânsito. como já perdi alguém a quem amava num acidente de carro, sei que não são só números e reportagens de jornal: acontece mesmo, na vida da gente e é uma desgraça. naquele clima pesado, marcelo, o auxiliar de câmera, anuncia a mensagem queacabara de receber da namorada: 'amor, avisa quando chegar. minha cabeça está a mil e não consigo dormir preocupada com você. te amo'. nessa hora eu já estava segurando o choro. caía uma chuva fininha e já passava da meia noite. meu sentimento de 'não quero ir de jeito nenhum' se intensificou quando o câmera recebeu uma mensagem da esposa: 'muito ruim ficar sem você, volta logo. se cuida e vão com cuidado'. eu comecei a chorar. no carro liguei para minha mãe. sei que a deixaria preocupada, mas precisava dizer a ela que a amava. ela tomou um susto mas compreendeu. pedi perdão e proteção ao meu Deus, coloquei o sinto de segurança e lá fomos nós. fiz uma viagem bastante tensa. um silêncio no carro. tentei jogar sodoku no celular... fomos e voltamos em segurança, graças a Deus: era só um pressentimento ruim.

2 comentários:

Whateverlyn disse...

E não é mesmo um sinal?
Um sinal para uma esposa, pra um namorado, para uma filha, para um pai. Sinal de importância para fragilidade da vida. Sinal de lembrança que nós não somos sós. Mesmo que por uma tarde. Mas é tão importante que deve durar para a vida inteira.
Vindo de novo a Campinas, inda com tempo, venha pra um chá.
Beijos

Paty Moraes disse...

Magina, tem gente que nasce iluminada e o pânico não passa apenas de um sonho ruim... que coisa né?! Vai me ver ou não?